Moradores de Maraú, no baixo sul da Bahia, denunciaram que parte do óleo encontrado em praias da região foi descartada, de forma irregular, em um lixão do município, um dos 28 afetados pela substância até esta quarta-feira (6) no estado. Vídeos e fotos feitos por moradores que denunciaram a situação mostram o óleo jogado em meio ao lixo.

Por meio de nota, a prefeitura da cidade informou que o descarte irregular foi feito por algumas pessoas, contrariando acordo que previu que substância fosse para um local apropriado. Não há informações sobre quem teria descartado o óleo no lixão do município.

A prefeitura disse que, durante uma reunião com o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), que ocorreu na cidade de Itabuna, ficou acertado que todo o material retirado do mar seria colocado em um local apropriado no município de Maraú até a chegada do Inema, que será responsável por remover todo o produto do município para descarte em local apropriado.

O executivo municipal disse ainda que o local considerado apropriado é um galpão coberto, no município. “Acontece que, algumas pessoas que estavam transportando o referido material, acabou descartando o produto no lixão, o que gerou preocupação e até denúncia por parte da população”, diz trecho da nota da prefeitura.

A prefeitura informou ainda que, assim que tomou conhecimento do fato, entrou com as devidas providências. “Neste momento, as máquinas da prefeitura estão removendo o óleo e colocando no galpão, como foi orientado pelo Inema”, diz outro trecho da nota.

A prefeitura diz ainda que, ao contrário do que diz uma moradora que gravou o vídeo mostrando o óleo no lixão, não recebeu até então nenhuma verba do governo Federal ou Estadual para ajudar na remoção dos resíduos.

A prefeitura informou também que conta com uma equipe de aproximadamente 40 pessoas, espalhadas em grupos, monitorando e limpando as praias da Península de Maraú com o apoio de populares, além do apoio do Corpo de Bombeiros, Marinha, Defesa Civil e Associação dos Municípios da Região Cacaueira da Bahia (Amurc). G1

Deixe uma resposta